sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Wild Target

A maior parte das pessoas mais interessantes que eu conheço não fazem a menor ideia do que fazer com a sua vida. E eu, o cúmulo de pessoa absolutamente normal, vivendo o mesmo drama. 

Oh, snap.

Um trailler interessante de repente pululula na minha página inicial do Youtube, eu não sei ao certo o que eu estava fazendo por lá - provavelmente escutando Flogging Molly -, e, certo, vamos baixar o filme. Rapidinho, pegar legenda, checar se a sincronização está OK, fazer um chá ou pegar uma Coca e ir assistir.

É incrível como eu mudo de ideia.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Modern Times

Inteligência não se trata de conseguir distinguir o certo do errado; mas sim, de ter a capacidade de analisar todo o contexto cultural onde determinado fato, ideia ou pessoa está inserido.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

It burned like fire

 I have spoken with the tongue of angels
I have held the hand of the devil
It was warm in the night
I was cold as a stone 


...Eis que ela escreve um texto. E apaga, deixando de publicar.

Tantas palavras não ditas e tantos gritos silenciosos, as noites mais escuras revelam sentimentos que os dias mais claros jamais poderiam supôr. ...Um grande futuro, ou uma pequena vida? Um magnífico erro, ou um diminuto acerto?

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011


Já esquadrinhei a parede sete vezes por minuto... E por mais que haja um grande vazio aqui esperando para ser preenchido por palavras com grandes significados, eu ainda não sei pelo que diabos eu estou esperando. Mas quando se acha que é uma grande crise existencial, devemos repensar porque pode ser apenas um vazio acusando fome.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Tired of hiding and I'm tired of running

Shout, scream your hearts out 
Don't let nobody take you down 
Where you ain't belong

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

So I could live forever


And I am thinking how many hours till I'm home?
How long do I stay in this place?
Who's going to wash all the blood from my clothes?

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Original of the Species

I'll give you everything you want
Except the thing that you want
You are the first one of your kind


Quantos de vocês choram em segredo porque a sociedade classificou como anormal demonstração de sentimentos? Quantos de vocês dizem que está "tudo bem" só para manter a dita paz social, cuja finalidade é nula, tendo em vista toda a confusão que se se instala dentro de nós, já que nós mesmos somos a "sociedade"? Quantos de vocês buscariam seus sonhos, sacrificando suas vidas? Quantos de vocês sacrificariam suas vidas, porque seus sonhos são impossíveis? Quantos de vocês tentam refrear os seus sentimentos? Quantos de vocês largariam tudo, jogaria tudo o que possuem para o alto, por um único e último momento de felicidade, tranquilidade e paz? Quantos de vocês seriam capazes de se levantar contra o que está posto? Quantos de vocês conseguiriam lutar contra os monstros que não mais procuramos embaixo da cama, sabendo que estão dentro de nós?

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Yoñlu

O que não entra com muita facilidade na minha cabeça é que não temos nada de diferente com relação a este garoto abaixo na imagem - que eu acabei de conhecer e que, infelizmente, já morreu -, e menos ainda com aquele imbecil que quase me matou atropelada hoje no trânsito. Somos todos farinha do mesmo saco, consumidores, nacionalistas, racistas, oportunistas, chatos incorrigíveis, e etc. Não dá para saber, ou ao menos não ao certo, se poderíamos ter salvo alguma dessas duas pessoas - o que lhes faltou? Companhia dos pais, educação, bons exemplos? Ou o negócio era pura e unicamente da conduta pessoal de cada um deles? Eu choro agora não por medo, não por temor, talvez por saudade, e de repente de algo que eu ainda nunca vi.



...And I'm so sorry.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011